segunda-feira, 27 de julho de 2009

Decisões



A vida é feita de decisões... deveremos comprar isto ou aquilo? será melhor ir por aqui ou por ali? Enfim! Estamos em constante mudança...
Mudamos hábitos e costumes consoante a nossa evolução como seres humanos que passam por esta experiencia magnifica chamada vida :)
Estamos sempre em constante aprendizagem... Aprendemos que não podemos confiar em todas as pessoas porque nem todas querem o mesmo que queremos para elas...
Aprendemos a tentar saber lidar com isso, mas quando aprendemos, não permitindo que isso nos arraste e inclua todo o ser humano é simplesmente maravilhoso, aí sim, estamos a aprender e não a defender!
Falar de sentimentos é sempre muito complicado e muitissimo pessoal pois cada um sente à sua maneira, mesmo que muitas vezes sejam sentimentos muito idênticos...
Chega a hora de desvincular... de avançar... temos medo pois acreditamos que somos o que somos porque conhecemos quem conhecemos e que fazem parte de nós! Errado!
Somos o que somos porque já conhecemos quem conhecemos, que partilhámos e vivemos experiências, o que as coloca no "fizeram parte de nossa vida" e terão de fazer parte de uma história bonita do passado, que faz com que sejamos muito do que somos hoje mas não que sejam parte da nossa vida no presente, não quando já não nos identificamos com aquelas pessoas no nivel que nos identificávamos!
Aprendemos então a desvincular... A perceber que as pessoas não têm obrigatoriamente que nos acompanhar toda a vida mas simplesmente existiram para marcar e definir (ou não) o que somos no hoje e no que seremos no amanhã!
O Amor e Carinho ficam, mas simplesmente não permenece a convivência diária e quase que obrigatória que mais parece que temos medo de não sabermos quem somos sem aquelas pessoas, só que a verdade é só uma: Nós não somos mais as pessoas que foos e que elas conhecem e vice-versa... porque apesar da convivência optámos por caminhos e experiêncas diferentes... bem diferentes... Dos quais não quero fazer parte, o Amor existe sem duvida, estará sempre cá e eu estarei sempre aqui, para o dia que precisarem impereterivelmente de mim, caso contrário, não!
Pois não me considero Stª Bárbara para se lembrarem da minha pessoa quando faz trovões...
Posto isto, despeço-me e espero que deixem que a vida vos ensine o melhor caminho a seguir...
Beijos

2 comentários:

  1. Há companhias, ao longo da nossa vida, que se tornam obrigatórias. O hábito é tanto que, quando damos conta, não fazemos nada sem elas e elas idem. Detesto esse tipo de situações porque me limitam e sinto-me aprisionada. Deixamos de ter tempo para nós e eu gosto de estar sossegada no meu canto, de ter tempo meu. Por isso, quando algo se começa a tornar hábito eu corto. As pessoas devem ser auto-suficientes. Gosto muito de ter amigos mas não deste género. Deste género só mesmo os cãezinhos que tenho. São os únicos que não me aborrecem quando me seguem. Beijos

    ResponderEliminar
  2. Obrigada pelas tuas palavras simpaticas brown eyes :) É verdade... Deixamos qe assim permaneça porque acreditamos persistentemente que aquelas pessoas sao as unicas que nos conhecem, mas depois chegamos a conclusao que ja nao somos quem elas conheceram mas que em certa parte gostariamos de ser, mesmo tendo consciencia que seria ridiculo lol :)

    ResponderEliminar

Alcanca.me(".)